” Imagem não disponível” – Cecilia Vignolo

11  a 24 de julho de 2014

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotografias: Diego de los Campos

 
 

Acerca de la exhibición IMAGEN NO DISPONIBLE de Cecilia Vignolo

El nombre Cecilia proviene del latin Cæcilla y significa “cieguecilla”. Resulta relevante conocer dicha acepción teniendo en cuenta que la mujer es considerada actualmente como una mera imagen. Y más relevante aun cuando sabemos que la obra de Vignolo se impone como una reelaboración de conceptos y una alternativa a dicha imposición. Su trabajo, me atrevo a explicar,  plantea nuevos lugares y pensamientos posibles acerca del rol de la mujer y acerca de cómo ésta es percibida. Cecilia nos ofrece un banquete de piel, bellos, cera y tierra evocando a todos los sentidos, permitiendo así una mirada integradora, profunda y cargada de significados. De una humildad cósmica y de una valentía salvaje, donde la artista deja cuerpo y alma en cada una de sus performances e instalaciones. Logrando generar un espectador despierto, de ojos atentos a una naturaleza que es mucho más inteligente de lo que a veces pensamos.

Elian Stolarsky

Trata-se de uma instalação de parede feita com argila onde o sentido é construído a partir de uma relação de escala entre a fragmentação do corpo humano e a separação do lemento terra. Corpo que é tratado também em duas séries de paisagens em pequeno formato  realizadas sobre canvas com cera e fibras naturais extraídas do próprio corpo da artista. A través de esta operação, o corpo é tratado como território de negociações estéticas e  políticas evidenciando a desarticulação da natureza feminina, que em busca de uma identificação com o padrão de beleza dominante, somete-se a procedimentos que muitas vezes mas parecem sessões de tortura.
Assim como na era clássica a natureza em estado selvagem era despreciada em favor da paisagem geometrizada e controlada, a qual sim era considerada bela, hoje o corpo passa por transformações rigorosas para se encaixar em esteriótipos de beleza impulsionados pelo mercado de consumo.
Cecília Vignolo expõe em sua obra este corpo oculto e censurado, que poderia resultar ofensivo mas, incorporado neste médio artístico nos faz refletir sobre o processo de conquista de direitos da Mulher.
Cecília Vignolo mora e trabalha em Montevidéu, Uruguay como artista visual. Produz em diferentes técnicas como performance, cerámica, instalação e vídeo. Seu foco e gira em torno do problema do corpo como espaço de construção do político a partir do estético.
Tem recebido prêmios com o do 52º Salão Nacional de Artes Visuais de Uruguai, sendo a primeira e única mulher a ser considerada e a única a nível mundial com uma Performance. Sua obra tem sido exposta em Argentina, Brasil, Ecuador, USA, Espanha, e em Bienais como a do Mercosul, Pontevedra (Es), Saint Etienne (Fr) e Ecuador.

Cuaduría: Elián Stolarsky e Diego de los Campos
http://www.ceciliavignolo.com/

Esse post foi publicado em exposição. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s